Enfermeira indígena luta para proteger índios da COVID-19

24 Abr 2020

Enfermeira indígena luta para proteger índios da COVID-19

Na Reserva Indígena do município de Dourados, MS, há uma população indígena de quase 17 mil habitantes, concentrados em uma área demarcada de apenas 3,5 mil hectares.

Preocupada com esta alta concentração, a enfermeira Indianara Machado Ramires, da etnia guarani-kaiowá, coordena uma força-tarefa pra impedir que o novo coronavírus (COVID-19) atinja a comunidade.

“São grupos muito grandes, que dividem moradias pequenas ou compartilham o mesmo terreno e erguem mais de uma moradia nele”, revela.

A Reserva é considerada a de maior concentração demográfica do país. O desafio de Indianara é coordenar a atuação das equipes para evitar que qualquer integrante da comunidade seja infectado pela Covid-19.

A equipes orientadas pela enfermeira seguem protocolos de prevenção adaptados às especificidades daquela cultura e monitoram possíveis casos. No entanto, a comunidade tem problemas crônicos, como o desabastecimento recorrente de água. Até o momento, apenas um caso suspeito foi notificado em Dourados e, após a realização de exames, foi descartado.

Indianara comenta que todos se empenham para evitar a circulação do novo Coronavírus nas comunidades.

“Não temos Equipamentos de Proteção Individual para todo mundo, mas estamos racionando e nos revezando com o que temos, para que ninguém trabalhe sem proteção”.

Segundo o Conselho Regional de Enfermagem de MS, uma remessa de EPIs foi enviada para a comunidade e declarou que acompanha e monitora as medidas tomadas pelos órgãos responsáveis para resolver os problemas.

Leia a matéria na íntegra no site do Cofen.

Registre su e-mail y entérese de las novedades del Condepe: